05/06/2009

A construção do texto coletivo em sala de aula



Sabemos que mesmo antes da criança dominar a mecânica da escrita já pode ir se familiarizando com a estrutura de um texto escrito e assim, sendo introduzida à cultura de letramento. É fato que, quando nossos alunos chegam à escola, já têm uma competência comunicativa bem desenvolvida, uma vez que já são capazes de se comunicar bem, no âmbito da família, em conversas com amigos, colegas, professores, etc.
Podemos assim entender por que esses alunos quando começam a ter contato com a língua escrita, ao aprenderem a ler e escrever, vão-se valer dos conhecimentos da oralidade que já detém, para construírem suas produções escritas. Torna-se crucial entender as relações que se estabelecem entre os modos de falar e de escrever, bem como contextualizá-los no ambiente de sala de aula, mostrando os processos interacionais que ocorrem nesse ambiente, em eventos que aí se estruturam.

Fonte: Pró Letramento Alfabetização e Linguagem - Fascículo 7 - Modos de Falar/Modos de Escrever

É nesse contexto que tecemos diversas reflexões, leituras e atividades que contribuem para novas perspectivas do trabalho docente.

Um exemplo de atividade de escrita coletiva é a Produção oral com destino escrito . Trata-se de uma atividade de produção coletiva em que os alunos vão falando e o professor vai escrevendo. A proposta sugere a produção de um texto baseado em outro texto que seja do conhecimento dos alunos. Exemplo: leituras realizadas com frequência em sala de aula, que pode ser literatura infantil, texto informativo, gibi.

As professoras desse blog realizaram algumas este ano. Uma delas foi baseada no livro da Tatiana Belinky "O Grande Rabanete". O livro é um dos mais queridos pelos alunos da profª Lenira e, foi também o escolhido pelo grupo para ser apresentado na festa das mães. Eles contaram e dramatizaram a história para ilustrar o valor da união, contando com a ajuda das mães para arrancar o grande rabanete.
Por isso, essa foi a história que eles escolheram para reescrever. O título mais votado foi "A Cenoura Gigantesca" e os personagens foram eles mesmos. Na reescrita Pedrinho planta cenoura no canteiro da escola e aí começa a saga da cenoura gigantesca que só é arrancada depois que todos se unem, inclusive a irmãzinha dele que passava ali por perto na hora e é com a grande ajuda dela que conseguem arrancar a cenoura. Depois todos se reunem para comer a merenda feita com a gigantesca cenoura e sobra até para os cachorrinhos que rondam a escola.








O texto ficou bastante longo, mas como o trabalho foi realizado numa sala multisseriada com foco no 2º ano, a professora foi a escriba para o quadro e a aluna da 5º ano para o documento de registro da sala de aula. Coube à professora as estratégias para mostrar aos alunos que existem diferenças, culturalmente definidas, entre os modos de falar e os modos de escrever.


6 comentários:

Rocio Rodi disse...

Olá Lenira e turma!

Considero surpreendente a capacidade, desconhecida em seu maioria por nós, da criança em compreender o texto que nós contamos a ela. Meus alunos de Pedagogia vem se surpreendendo com essa descoberta. Como? Cada um deles escolhe uma criança colaboradora e daí cont historia. Por que estou lhes contando isso? Ao saber que Lenira recorreu a Tatiana Belinky para estimular as conexões de seus alunos imaginário-imaginação, lembrei-me do Elvys que resolveu contar para Luana de 10 anos, "A Luva" cujo envolvimento traz a paixão do cavaleiro Delorges pela donzela Cunegundes, que desdenha dele, um texto que Tatiana reconta muito bem de Schiller, poema que faz render Beethoven. E assim Luana consegue surpreender-nos. Não me admira que você tenha que ser escriba de seus alunos no quadro, pois, Belinky motiva de fato os alunos, traz o recado da alma, a anima tece... enreda!
Parabéns! Sobre "A Luva" e o diálogo do acadêmico e sua criança postei em http://literagindo-paraoara.blogspot.com.

Edimar Suely disse...

OLÁ, A PAZ!

PASSANDO PARA CONHECER SEU MARAVILHOSO ESPAÇO E DESEJAR UMA LINDA TERÇA FEIRA E PAZ EM SEU LAR.

GRAÇA E PAZ!

EDIMAR SUELY
JESUSMINHAROCHA.BLIG.IG.COM.BR

ROSANI disse...

ÓLÁ! MEU NOME É ROSANI E AMEI ENCONTRAR O SEU BLOG. DICAS MUITO INTERESSANTES PARA NÓS, PROFESSORES.
EU ESTOU COMEÇANDO UM BLOG E SUAS DICAS SÃO ÓTIMAS. POSSO INDICAR O SEU BLOG NO MEU. PARABÉNS!
É MUITO ÚTIL AS INFORMÇÕES QUE VC PASSA. GRATA
ROSANI

Profe Suely disse...

Oi, Lenira e meninas!

Adoro essas criações coletivas e as realizo no ensino médio também!!!
As meninas e os meninos se deliciam com as histórias que criam. Depois, individualmente ou em duplas, surgem as versões escritas...
É muito interessante!!!

Abraços!!

Adriano TJ disse...

Parabéns pelo seu blog. Ele é bem organizado e a estrutura é bem atraente. Sou tutor do Pró-letramento em meu município. Alfabetização e linguagem nos anos iniciais é tudo de bom! Sucesso!

Profª Simone disse...

oiii seu blog é maravilhoso.. adoro te acompanhar..passa no meu blog.. tem um selinho pra vc.. bjss